quinta-feira, março 23, 2017

Tratar(-me) da saúde

Sou pessoa idosa e cheia de maleitas, já se sabe. Há muitos anos que sou seguida no privado e há muitos anos que ouço dizer que o público é que é bom. Também gostava de ver isso, de dar uma oportunidade, até porque, em calhando, sou bem capaz de ter algumas cirurgias no horizonte mas o pior é conseguir lá chegar. 
Se é para ir para o público gostava de poder escolher o médico e o hospital, mas ao que parece afinal não se pode. Tenho de ir para o hospital para o qual for encaminhada e aguardar consulta, que poderá demorar um ano ou dois para o médico que me calhar em sorte. 

Conheço pessoas que são seguidas em mais do que um hospital público e conseguem as consultas com os grandes nomes da especialidade mas ao que parece que essa benesse só é dada a alguns privilegiados e mediante o velhinho e sempre em voga Factor C.

Estou, por exemplo, a lembrar-me de uma conhecida que operou as varizes no Beatriz Ângelo com o mesmo cirurgião vascular com que eu operei as minhas no Hospital da Luz, que pariu no Francisco Xavier com o Dr. Fernando Cirurgião e que é seguida em Santa Maria numa outra especialidade também por um outro grande especialista. Ora, assim é maravilhoso, como não? 

Mas a realidade para o comum dos mortais está longe de ser esta. Se queremos uma consulta de especialidade temos de passar por um loooooooongo processo que tem inicio no médico de família para terminar um ou dois anos depois com o médico que nos atribuírem. Se é para ser assim, não é que tenha muito gosto nisso porque, como referi, gostava de experimentar o nosso SNS, mas, a bem da minha saúde que não se compadece com esperas, terei de continuar a recorrer ao privado. 

Cenas que me encanitam

Qual é a lógica de se fechar os comentários na bloga?

Sendo a blogosfera um espaço de desabafos, partilhas, interacções e considerações, que sentido faz uma pessoa ler um post, chegar ao fim e, em querendo, não poder mandar o seu bitaite?

Modernices.